Frete grátis para todo o Brasil e 30 dias para reembolso

Carregando...

Seu pedido

Esqueci minha senha

Preencha seu e-mail de cadastro, você receberá as instruções para criar uma nova senha.

Outras opções
Já tenho cadastro Criar uma nova conta

Criar uma nova conta

Acesse seus pedidos e gerencie seus dados.

Já tem uma conta
Acessar minha conta
Peeling: você sabe o que é isso e para que serve?

Peeling: você sabe o que é isso e para que serve?

Um peeling, popularmente chamado de esfoliação, deve, em geral, garantir que a pele melhore.

Durante o processo, as células mortas da pele são soltas. Isso dá à pele espaço suficiente para se renovar. Dessa forma, a tez torna-se significativamente mais saudável e fresca com o tempo.

O que é um peeling exatamente, como funciona, quando é útil, se há riscos e todas as outras informações importantes sobre o assunto podem ser encontradas a seguir.

O que é um peeling?

Um peeling é um produto cosmético aplicado na pele como um creme ou fluido. Sujeira, depósitos e flocos de pele morta são idealmente removidos dessa maneira.

Em resumo, é feita uma distinção entre os peelings convencionais, que são realizados confortavelmente em casa com esfoliantes caseiros, por exemplo, e os que são usados ​​em um estúdio de cosmética. Os chamados pincéis de peeling representam outra forma, também são usados ​​em casa.

Se você usa um peeling para uso doméstico, pode escolher entre um produto que se destina ao rosto ou ao corpo ou um produto que vem em combinação com um gel de banho.

Além disso, esse tipo de aplicação também ocorre em um estúdio de cosmética em uma base química. Esses produtos são altamente eficazes e removem até mesmo as impurezas profundas.

É ainda possível melhorar visualmente as cicatrizes visuais de acne adulta.

Contudo, após esse processo, a pele precisa de um tratamento de acompanhamento, pois o processo é muito agressivo. No entanto, a eficácia é significativamente maior do que com um peeling convencional.

Se for uma esfoliação normal, a aplicação pode ser realizada em praticamente qualquer parte do corpo. Em si, esse processo faz parte do cuidado básico da pele.

Origem e desenvolvimento

A origem do peeling remonta ao antigo Egito. Lá, Cleópatra já usava o ácido lático para tratar a sua pele. Naquela época, no entanto, os produtos também estavam amplamente disponíveis na forma de óleo animal e sal.

Assim, as formas mecânicas e químicas do peeling já eram conhecidas no passado e foram aprimoradas e aperfeiçoadas ao longo dos anos.

Função, efeito e objetivos

Assim que a pele se regenera, a pele velha morre e cai. Esse processo não é visível a olho nu, mas garante que a pele não pareça mais tão fresca nos locais onde os flocos de pele morta ficam acumulados.

Além disso, a elasticidade também diminui. A pele por baixo, por outro lado, corresponde à ideia geral de uma tez saudável e fresca.

No entanto, nem só a pele morte causa esses sintomas. Os seguintes fatores também podem afetar essa pele:

  • Poluição
  • Sebo
  • Acne
  • Todas as outras doenças de pele que também causam cicatrizes

Com um peeling, os cravos e impurezas são removidos. Com produtos profissionais, a pele pode ser limpa até aos poros. Mesmo as impurezas teimosas são removidas confortavelmente e por precaução.

Como é feito um peeling e como funciona?

Se você usar um peeling para sua própria aplicação, ele pode ser usado na forma de um gel de banho ou como um creme. Podem ser especialmente concebidos para o rosto ou para todo o corpo.

A limpeza é suave e remove as células mortas da pele e sebo. Além disso, costumam ter alguns ingredientes nutritivos que também podem garantir o cuidado ideal. O efeito peeling é obtido com pequenos glóbulos, que podem ser removidos de forma ideal esfregando a pele.

Uma variante mais agressiva é o tratamento de peeling em um estúdio de cosmética. No entanto, esse tipo de tratamento também é muito mais eficiente. Em muitos casos, eles são aplicados na pele como um fluido.

Os ingredientes ativos populares são, por exemplo, ácidos de frutas. Dependendo da concentração do ácido, depósitos teimosos podem ser dissolvidos. Isso inclui, por exemplo, cicatrizes de acne. Restos de pele e cravos também podem ser removidos de maneira ideal.

Cuidado: devido à sua agressividade, atacam a pele ao mesmo tempo! Também não há aspecto nutritivo adicional durante o peeling. De fato, é o cliente que deve realizar o tratamento de acompanhamento em casa de forma independente, ou solicitar um tratamento adicional.

Veremos mais sobre isso ao longo do artigo, mas o peeling suave pode ser feito semanalmente. No entanto, a variante química deve ser usada raramente. Além disso, há um longo acompanhamento com cremes para a pele.

Quais os benefícios do peeling?

Por si só, um peeling ajuda a refinar a tez e geralmente limpa a pele. O peeling serve para remover impurezas e, na melhor das hipóteses, fornecer nutrientes importantes para a pele. Os seguintes benefícios podem ser destacados:

  • Promove a circulação sanguínea na pele
  • Estimula a circulação
  • Tem um efeito revigorante
  • Promove pele saudável

Mas limpar a pele com peelings é prejudicial?

Por si só, a córnea é uma barreira importante no corpo contra as influências ambientais. Se a camada superior da pele for removida mecanicamente com muita frequência, ela formará cada vez mais escamas pequenas.

Além disso, a pele, especialmente no rosto, pode ficar irritada. Vermelhidão, espinhas ou secura extrema mostram que ela quer descansar.

Assim sendo, como já foi citado, o peeling não é prejudicial. Pelo contrário, é benefício. Contudo, é preciso que você tenha cuidado com a frequência que esse tratamento é feito.

Em geral, se você notar os sintomas citados acima, como vermelhidão e secura na pele, o ideal é diminuir a frequência dos peeling.

Com que frequência você deve usar um esfoliante?

As células da pele se renovam a cada 28 dias. Este efeito é melhorado com um peeling, porque as células mortas da pele são removidas.

Contudo, como já citado, é importante não exagerar! Esfoliar com muita frequência pode até levar ao envelhecimento da pele, pois as células da pele têm que se dividir mais rápido do que o normal.

Com a pele normal, cerca de um peeling feito em casa por semana é suficiente, mais frequentemente do que isso significa  estresse  para a pele. Quanto mais seco o tipo de pele, maior deve ser a distância entre as aplicações.

Contudo, o peeling químico, feito em locais de beleza especiais, não devem ser feitos mais que duas vezes por ano, pois agridem muito a pele.

peeling 1

Riscos e efeitos colaterais do peeling

Se for feito um tratamento cosmético, existe sempre o risco de intolerância. Como tal, no entanto, os produtos usados ​​em casa têm uma dosagem tão baixa que não há preocupação.

No entanto, deve-se prestar atenção aos extratos de frutas e ervas. Eles podem conter certos ingredientes que causam alergias. Embora ocorram apenas em pequena extensão com uma pequena dose, isso já pode ser muito desagradável.

Contudo, se você tem alergias, deve ter cuidado, principalmente em estúdios de cosmética, pois essas substâncias são utilizadas em altas concentrações por lá. No entanto, existem alternativas para os componentes da fruta.

De fato, devido ao alto teor de extrato, os ácidos de frutas representam um risco real para quem sofre de alergia na pele.

Principalmente após o primeiro tratamento, é necessário fazer observações atentas. O cuidado posterior correto é escolhido dependendo da reação da pele. É por isso mesmo que o esteticista precisa saber exatamente qual produto é necessário para qual reação.

No entanto, se não houver um tratamento de acompanhamento adequado, a pele danificada permanece neste estado, de modo que outros problemas podem surgir.

É bom saber: o peeling remove o sebo. Isso torna mais fácil o aparecimento de cravos pretos se não houver cuidados posteriores adequados. Isso pode causar infecções de pele. Mas a pele irritada também é uma indicação de cuidado de acompanhamento deficiente.

Se você usa regularmente um peeling agressivo, a pele pode ficar estressada e destruída. Ou seja, um peeling suave para uso doméstico faz mais sentido.

Em geral, os sintomas que alertam sobre possíveis alergias são:

  • Infecções de pele
  • Pele irritada
  • Reação alérgica
  • Aumento do número de cravos
peeling 2

Conclusão

Um peeling é ideal para uma pele saudável e pura. Aqui, no entanto, deve-se ter cuidado para que não prejudique a pele e, ao mesmo tempo, crie novos problemas. Se o tratamento agressivo ocorrer no estúdio de cosmética, o tratamento de acompanhamento é essencial.

Além disso, esse processo não deve ser repetido com muita frequência. O tratamento com peeling convencional, por outro lado, pode ser feito semanalmente. Isso porque, essa variante geralmente contém substâncias de cuidado adicionais que apoiam a pele.

Ou seja, em casa, além de ajudar na regeneração da pele, você estará a nutrindo de uma maneira ideal. Assim sendo, eu recomendo fortemente que você faça esse tratamento em casa sozinha.

Contudo, caso você tenha o aconselhamento de um dermatologista para buscar um peeling mais agressiva, troque para essa variante.

Certamente, se ele lhe recomendou, é justamente porque o seu tipo de pele ou condição de pele está precisando disso nesse momento. Então, não hesite! Basta tomar os cuidados necessários após o tratamento.

Gostou de saber mais sobre o peeling? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

O post Peeling: você sabe o que é isso e para que serve? apareceu primeiro em Evi.

Você também pode gostar

Recomendado para você

LANÇAMENTO

Sérum Iluminador Facial

R$ 134,90