Frete grátis para todo o Brasil e 30 dias para reembolso

Glicerina: tudo o que você precisa saber! [GUIA COMPLETO]

A glicerina faz parte da formulação de quase todos os hidratantes. Este ingrediente estrela nos cuidados com o rosto e o corpo e tem a capacidade de atrair e reter água, limitando a desidratação.

De fato, a glicerina possui diversas propriedades interessantes. Nesse artigo, iremos ver um pouco mais sobre esse produto tão presente em nosso dia a dia.

O que é a glicerina?

A glicerina vegetal geralmente vem na forma de um líquido bastante viscoso e espesso, incolor e inodoro. É obtido por saponificação de óleos, normalmente.

Mas, o que é saponificação? É a reação química para a obtenção do sabão. Durante essa reação, uma substância gordurosa, associada a uma base forte, permite a obtenção de sabão, mas também outro produto: a famosa glicerina.

Em resumo, a reação química é:

Ácidos graxos + base forte → sabão + glicerina

Essa substância pode, então, ser extraída e usada por suas muitas propriedades em cosméticos e no uso doméstico.

Obviamente, numa abordagem ecológica, privilegiamos o uso da glicerina de origem vegetal. No entanto, você está ciente de que essa substância pode ter várias origens:

Para que serve a glicerina?

Cremes, géis de banho e hidratantes contendo glicerina melhoram a qualidade da pele e dos cabelos por meio de diversas ações:

Hidratante

Estudos têm demonstrado o papel hidratante dessa substância e sua capacidade de penetrar na pele e reter água.

A ação hidratante da glicerina atua em dois níveis. Em primeiro lugar, retém água nos tecidos, retardando a perda de água e melhorando o nível de hidratação da pele.

Além disso, o glicerol também tem ação oclusiva. Forma um filme hidro lipídico na superfície da epiderme, uma espécie de barreira protetora, que mais uma vez limita a perda de água e de umidade.

Também pode ser integrado a cremes faciais por sua ação hidratante, em tratamentos corporais, para atuar na dermatite atópica, entre outros. De fato, é o ingrediente das rotinas de beleza de inverno, época em que a pele fica mais sujeita ao ressecamento e desidratação.

Reparador

Ao promover a síntese de lipídios e a integridade das células da epiderme, a glicerina ativa o processo de reparo da pele quando esta é lesada ou danificada. É ideal para o tratamento de peles ásperas, aquecidas pelo sol, com tendência atópica.

Protetora

Ao formar e fortalecer o filme hidro lipídico da epiderme, a glicerina atua como agente protetor contra as agressões externas. Também garante uma melhor coesão celular, o que contribui para a restauração das defesas naturais da pele.

Calmante

Ao lutar contra a desidratação e a descamação, essa substância acalma e reduz as irritações e as sensações de desconforto que podem estar associadas a esses fenômenos.

Reconhecida por suas propriedades emolientes, promove flexibilidade e elasticidade da pele.

Cura

O glicerol é um ingrediente interessante no tratamento de feridas. Sua ação na síntese de colágeno acelera a reparação e cicatrização de feridas.

Renovação celular

De fato, a glicerina permite que a pele se livre de suas células mortas com mais eficácia. Ao participar da renovação das células, contribui para uma boa renovação das células do estrato córneo (camada externa da pele).

Hidratante de cabelo

Essa substância é conhecida por ser um condicionador de cabelo e costuma ser encontrada em shampoos, condicionadores, máscaras e tratamentos para o couro cabeludo.

Mas cuidado, em uma área seca, essa substância terá o efeito oposto. Na verdade, ela vai sugar a água contida na fibra, acentuando a secura capilar. A glicerina deve, portanto, ser aplicada no cabelo com cautela, dependendo da região.

glicerina 1

Principais usos da glicerina

Agora que já vimos para que a glicerina serve, vamos ver os seus principais usos em nosso dia a dia:

Em cosméticos

Para uso em cosméticos, essa substância deve ser adicionada e dosada entre 2 a 8% em fase aquosa. Acima desse percentual, o efeito hidratante da glicerina é revertido.

Em resumo, atrai toda a umidade que encontra, mesmo aquela presente na pele e nos cabelos, podendo ressecá-los quando em concentrações muito altas.

Além disso, a glicerina é de real interesse se o ar ambiente for úmido: ela irá capturar a umidade e “transferi-la” à pele e ao cabelo, por exemplo. Por outro lado, se o ar ambiente estiver seco, a glicerina pode ressecar sua pele ou cabelo absorvendo a água que encontra neles.

A glicerina é adequada para todos os tipos de pele e cabelo, particularmente para os secos e desidratados.

Por isso, é adicionado à maioria dos produtos cosméticos aquosos. Deve ser bem misturado para se dispersar durante o uso. Antes de aplicar em uma área grande, não hesite em realizar testes em pequenas áreas.

Em uso doméstico

A glicerina também pode ser muito útil no dia a dia de limpeza da casa, por exemplo. Entre seus principais usos:

Como a glicerina age na pele?

Durante anos, essa substância teve a reputação de secar a pele. Mas isso é mesmo verdade? Sim e não. Tal como acontece com tantos ingredientes, a concentração e combinação corretas são importantes.

Para que você possa entender isso, deixe-me explicar brevemente sua função para você: essa substância atrai água como um ímã.

Esse efeito é desejável porque torna esse ingrediente um dos melhores hidratantes que existem. Então de onde vem o boato de que a glicerina supostamente tem um efeito secante?

Como eu disse, a glicerina atrai água e não se “importa” de onde ela vem.

Em resumo, pode vir de três fontes:

Talvez você já tenha uma vaga ideia de qual fonte a glicerina não deve ser usada? Exatamente, da fonte 3: água da pele!

Quando a glicerina não obtém água suficiente de outras fontes, ela puxa água das camadas mais profundas da pele até a superfície, ressecando-a. Dois fatores impedem que isso aconteça: a formulação e a concentração certas.

A glicerina pode não se importar de onde vem a água, mas é claro que a sua pele se importa.

Por isso é importante que a glicerina seja sempre acompanhada de outros ingredientes hidratantes. Dessa forma, ela não retém a água da pele, mas a água do produto. Nesta combinação, a glicerina hidrata a pele de forma profunda e duradoura.

Você tem que se preocupar se seu produto com glicerina vai ressecar a pele?

Não. Hoje, os produtos cosméticos são formulados com esse conhecimento. Portanto, não entre em pânico, pois em hidratantes e soros de alta qualidade a glicerina é dosada e combinada de forma a mostrar o seu melhor lado.

glicerina 2

Para quais tipos de pele a glicerina é adequada?

A glicerina é uma parte natural do corpo. Durante o metabolismo, as gorduras são processadas, sendo a glicerina um subproduto.

Este é então transportado para a pele, onde desempenha sua função de barreira. Por ser natural e disponível de qualquer maneira, essa substância é muito bem tolerada. É livre de alergenos e é adequado para peles sensíveis.

Portanto, não há tipo de pele que deva manter distância dessa substância. No entanto, a pele desidratada tem o maior benefício. A glicerina ajuda a armazenar água nas camadas mais profundas da pele e, assim, cria um depósito de umidade adicional.

Para a pele seca pode ser natural, mas é normal que a pele fique mais ressecada à medida em que envelhecemos. Com o tempo, uma boa hidratação torna-se cada vez mais importante!

Conclusão

Na dosagem certa, a glicerina fornece bastante hidratação à pele. E isso é essencial. A pele precisa de pelo menos 20% de água para torná-la realmente fresca e radiante.

O bom da glicerina: ela hidrata a pele até as camadas mais profundas. Isso melhora sua elasticidade. Além disso, esse depósito de água mais profundo não pode ser removido com tanta facilidade ao limpar o rosto.

Como você viu ao longo desse artigo, como a glicerina se liga à água do meio ambiente, dois fatores são decisivos na formulação de produtos cosméticos:

Gostou de saber mais sobre a glicerina? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

O post Glicerina: tudo o que você precisa saber! [GUIA COMPLETO] apareceu primeiro em Evi.