Frete grátis para todo o Brasil e 30 dias para reembolso

Carregando...

Seu pedido

Esqueci minha senha

Preencha seu e-mail de cadastro, você receberá as instruções para criar uma nova senha.

Outras opções
Já tenho cadastro Criar uma nova conta

Criar uma nova conta

Acesse seus pedidos e gerencie seus dados.

Já tem uma conta
Acessar minha conta

Ácido glicólico: tudo o que você precisa saber!

 

O ácido glicólico é um esfoliante perfeito para renovar a pele e torná-la mais leve e compacta. É ideal para o tratamento de todos os tipos de pele (exceto peles muito sensíveis).

Ao longo desse artigo, você entenderá mais sobre o ácido glicólico e quais são assuas aplicações na beleza. Quer saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!

O que é ácido glicólico?

O ácido glicólico faz parte da família dos alfa-hidroxiácidos, como o ácido cítrico ou o ácido láctico.

Obtido a partir da cana-de-açúcar, possui uma estrutura molecular particularmente pequena, o que lhe permite penetrar bem na pele, tornando-a compacta. Além disso, regenera as células e diminui os sinais presentes tanto nas pele maduras, como nas mais jovens.

Como já citei, é obtido através da extração da cana-de-açúcar. Tem muitas propriedades e por isso é muito utilizado na indústria cosmética.

O pH natural do ácido é de fato 1, a nossa pele tem um pH de 5,5. Por isso é muito agressivo e, dessa forma, é bom escolher formulações em solução com pH 3, com percentagens de ácido glicólico que podemos usar em todas segurança.

Se usado em alto percentual de concentração, a ação do ácido, mesmo que de origem natural, torna-se invasiva para a pele e, portanto, deve ser tratada apenas em centros de estética especializados ou por dermatologista.

Para que serve?

Este ácido atua removendo células mortas e impurezas da camada superficial, graças à sua ação esfoliante: assim promove o rejuvenescimento e renovação celular.

O tratamento ácido mais comum é o peeling – tanto para o rosto quanto para o corpo – que é realizado em centros de estética ou pelo dermatologista e é usado para renovar a epiderme, eliminando células mortas.

Uma vez aplicado na pele, atua enfraquecendo as ligações lipídicas entre as células da epiderme: essa ação facilita sua remoção.

Com esta esfoliação, as células mortas são destacadas e a pele fica renovada e mais clara. O tratamento esfoliante pode ajudar em várias manchas, para reduzir:

Quando usar o ácido glicólico?

O tratamento é recomendado para peles já maduras, que podem apresentar manchas de sol e pequenas rugas ou que perderam elasticidade e brilho.

Também é recomendado para peles com tendência a acne, com cicatrizes e excesso de sebo, pois tem ação reequilibradora em sua produção.

No entanto, ele permanece um ácido e deve ser usado nas concentrações corretas, após supervisão médica ou pessoal qualificado. Obviamente, não é recomendado em peles sensíveis e delicadas.

Ácido glicólico: como avaliar a concentração nos produtos

Muitas de suas funções dependem de sua concentração em preparações cosméticas.

Concentrações em torno de 4-5% têm uma ação bastante hidratante e é somente aumentando a concentrações iguais ou superiores a 10% que passa a exercer uma função suavizante e esfoliante.

Todas as concentrações acima desse percentual, por outro lado, são utilizadas para produtos destinados a peelings dermatológicos para os quais é necessária a consulta de um especialista.

Em resumo, as concentrações se dividem da seguinte forma:

acido glicolico 1

Mas para que serve o tratamento com ácido glicólico?

Não só para dar mais brilho e uniformidade ao rosto: suas funções são verdadeiramente múltiplas.

Por exemplo, também pode ser usado no tratamento de cicatrizes como as de acne (neste caso, deve ser usado com certa regularidade) ou no combate à hiperpigmentação por manchas solares ou predisposição genética.

Por último, também é excelente contra as rugas e os sinais de envelhecimento porque permite minimizar essas imperfeições.

O crédito se deve ao tamanho de suas moléculas. Elas são muito pequenas, o menor de todos os ácidos esfoliantes, então elas penetram perfeitamente na pele quebrando as ligações entre as células do estrato córneo.

Este recurso o torna ideal para eliminar as células mortas (e as camadas mais superficiais da epiderme), responsáveis ​​pelo aspecto cansado da pele.

Ácido glicólico em cosméticos

Os cosméticos à base de ácido glicólico que existem no mercado são tônicos, cremes, máscaras ou soros. Para cremes cosméticos com baixa concentração de ácido (5%) também se recomenda o uso diário, suspendendo se a pele ficar irritada.

Para formulações com um percentual de 10% recomenda-se aplicar à noite apenas duas vezes por semana. Você deve estar se perguntando:

Mas, como aplicar um creme de ácido glicólico?

Calma, eu vou explicar…

Os cremes de ácido glicólico devem ser aplicados na pele lavada e seca. O produto cosmético deve ser aplicado com a ponta dos dedos e batendo levemente, depois é recomendado massagear suavemente para que seja absorvido.

Sugere-se aplicar o produto com a ponta dos dedos, massageando suavemente para facilitar sua absorção. São produtos que costumam ser usados ​​antes de ir para a cama porque podem agir sem irritar durante a noite e porque são fotossensíveis.

De manhã, após a aplicação do creme noturno glicólico, recomenda-se hidratar bem o rosto e pescoço e aplicar um filtro solar de pelo menos FPS 30 para o rosto do dia.

Ácido glicólico no dermatologista ou esteticista

Os tratamentos profissionais com ácido glicólico utilizam produtos com um percentual que varia de 30 a 80% de concentração de ácido. Por isso, é aplicado após exame médico, em peles adequadas e com atenção escrupulosa.

O peeling nessas concentrações é profundo e a pele, após uma vermelhidão inicial decorrente do tratamento, ficará visivelmente mais jovem, livre de imperfeições, manchas e cicatrizes.

Atenção: os ciclos de tratamento devem ser decididos pelo médico. Não exagere nas aplicações, pois o excesso pode causar afinamento anormal da pele, micro abrasões cutâneas e rompimento dos capilares.

Principais benefícios do ácido glicólico para o rosto

Como já foi citado ao longo desse artigo, o tratamento com ácido glicólico é recomendado para peles maduras, para aliviar os sinais de envelhecimento e rugas e para peles oleosas e com tendência acneica.

Contudo, vamos ver agora em mais detalhes quais são os benefícios do ácido glicólico para o rosto.

Ácido glicólico para acne

O peeling de ácido glicólico é recomendado para quem tem excesso de sebo, pois a esfoliação mais ou menos profunda regula a produção de sebo, liberta os poros entupidos e reduz as manchas causadas pela acne, como cicatrizes.

Ácido glicólico é antirrugas

O tratamento antirrugas consiste na aplicação de produtos com alta concentração de ácido glicólico, por médicos especializados.

Como alternativa, você pode aplicar um creme cosmético que não terá um resultado imediato, mas ainda pode dar brilho ao rosto.

Ácido glicólico para manchas

Para reduzir as manchas escuras no rosto, também é possível usar diariamente cosméticos à base de ácido glicólico. Usado regularmente, ele ilumina e quase minimiza manchas solares relacionadas ao envelhecimento.

Contudo, somente se o dermatologista recomendar pode ser feito um tratamento com alta concentração de ácido.

Para que o ácido glicólico seja eficaz como efeito clareador, ele é usado em produtos associados a ingredientes ativos, tais como:

Principais benefícios do ácido glicólico para a pele do corpo

Este ácido é adequado para todos os tipos de pele do rosto e do corpo: é um esfoliante muito eficaz que consegue renovar e hidratar a pele.

Também aplicado no corpo, promove a renovação da epiderme, eliminando as células superficiais da pele, que a tornam opaca e áspera

Ação hidratante

A esfoliação com este ácido tem ação hidratante: ao eliminar as células mortas, permite que as células sejam repostas, dando à pele um aspecto mais luminoso.

Ação suavizante

A esfoliação tem ação suavizante. No caso das cascas de laranja (celulite) nas pernas, quadris, mas também para alisar joelhos e cotovelos, o ácido é excelente por dar elasticidade natural.

Anti-estrias

Usado constantemente, pode ajudar a reduzir as estrias.

Para pelos encravados e foliculite

A esfoliação é recomendada para prevenir o nascimento de pelos encravados e contra a foliculite.

acido glicolico 2

Contraindicações no uso de ácido glicólico

Não tem muitas contraindicações: se for aplicado em baixa concentração para uso cosmético pode causar um pouco de vermelhidão ou formigamento temporário. Nesse caso, pare o tratamento.

Além disso, se após as primeiras aplicações a pele parecer seca, interrompa o tratamento.

No caso de tratamentos com altas concentrações, estes devem ser realizados sob supervisão médica.

Contudo, o uso do ácido glicólico não é recomendado em caso de:

Ácido glicólico no verão

O ácido é fotossensibilizante: a pele após o tratamento ficará, portanto, sensível à luz solar e não deve ser exposta ao sol.

Ácido glicólico e herpes

O tratamento não é recomendado para quem sofre de herpes recorrente. Neste último caso, a terapia só pode ser realizada após profilaxia antiviral adequada.

Ácido glicólico na gravidez

Deve ser evitado durante a gravidez porque parece que até 27% do ácido aplicado pode entrar na corrente sanguínea.

Além disso, a pele durante a gravidez é mais sensível e, portanto, não é recomendado aplicar irritantes que possam causar ardor e vermelhidão.

Gostou de saber mais sobre o ácido glicólico? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!